De passagem pelo Rio, uma corrida por ruas cheias de história

De passagem pelo Rio, uma corrida por ruas cheias de história

20 de outubro de 2018 0 Por Paulo Prudente

João Luís Ramos da Silveira, de 44 anos, corre desde que entrou no Exército, em 1992. Em 2013, começou a participar de corridas de rua e desde então aproveita as viagens a trabalho para encaixar alguma prova. Recentemente, o militar esteve no Rio e participou da Etapa Cinelândia do Circuito Rio Antigo, sagrando-se vice-campeão dos 10K na categoria 40-44 anos.

Conheci a prova pesquisando na internet as corridas que tinham no Rio de Janeiro no período em que estaria na cidade. Dentre as corridas disponíveis, o percurso diferente no centro do Rio de Janeiro foi o diferencial. Pela expectativa de passar nessa região sem o movimento tradicional, sem o tumulto dos carros e das pessoas e poder observar os prédios, as avenidas e o próprio local da largada e chegada, que são maravilhosos”.

O corredor, que já experimentou distâncias até a meia maratona, observou cada detalhe do percurso. Juntou à corrida de rua o aspecto cultural, que é uma das propostas do Circuito Rio Antigo desde sua primeira etapa, em 2010.

Foi muito interessante ver o contraste entre ruas estreitas de paralelepípedos e avenidas largas, de asfalto. Os prédios antigos, mas majestosos, como o Theatro Municipal, e os novos. As igrejas antigas escondidas entre os prédios ou em destaque como a Candelária e a Catedral de São Sebastião. Foi excitante e diferente ver tudo isso sem a interferência dos carros e da multidão”.

A boa experiência no Circuito Rio Antigo reforçou em João Luís o desejo de continuar correndo Brasil afora sempre que possível e quem sabe conhecer outra etapa e outro percurso por ruas cheias de história.

“É um projeto pessoal continuar correndo e sempre que for possível participar de corridas em diferentes cidades. A experiência no Rio de Janeiro foi muito boa, com a etapa muito bem organizada, desde a largada, o balizamento, os pontos de hidratação, a chegada, premiação, o que com certeza me motiva a voltar. Acho o ambiente de corrida muito legal e agradável”.