Ilson Soares Júnior: 126km de pura solidariedade

Ilson Soares Júnior: 126km de pura solidariedade

16 de junho de 2018 0 Por boratreinar

O advogado e corredor Ilson Soares Júnior, atleta da Speed, larga hoje às 20h para uma das corridas mais importantes de sua vida. O atleta, de 40 anos, vai percorrer 126km entre o Rio de Janeiro e Barra do Piraí, no Vale do Paraíba. Na Ultra Solidária 126k, Ilson vai arrecadar fundos para instituições de caridade de sua cidade natal. A largada será no monumento a Estácio de Sá, no Aterro do Flamengo, e a chegada, prevista para 11h de sábado, na Praça Nilo Peçanha, em Barra do Piraí.

Relato de Ilson Soares Júnior

“Comecei a correr por acaso, em 2007. Queria e precisava perder peso, mas sabia que a reeducação alimentar não seria suficiente. Era necessário fazer alguma atividade física. Numa manhã resolvi fazer uma caminhada no Aterro do Flamengo e conheci a Speed Assessoria.  Ter o acompanhamento de profissionais no preparo de planilhas, dicas de técnica na corrida, respiração, alongamentos entre outros apoios é fundamental, diria que necessário para quem quer praticar saúde com responsabilidade. Com a evolução nos treinos surgiu a oportunidade de realizar a primeira corrida de 5k ali mesmo no Aterro do Flamengo. Uma alegria pensar que era possível e que naquele momento eu tinha a certeza de que voltava a ter o cuidado com a minha saúde.

Os desafios foram crescendo e iniciei os treinos para fazer minha primeira prova de 10k. Já perdera 12 kg e o sucesso da primeira prova se repetiu. A meta então ficou mais ousada: encarar os 21k da meia maratona, algo que nunca tinha passado pela minha cabeça. Nunca imaginei sair correndo e permanecer naquela situação por vários minutos, e muito menos por horas. A preparação para a meia maratona me obrigou a ter mais controle na alimentação e maior disciplina nos treinos.

Chegara então o momento de pensar na primeira maratona. Se eu não me imaginava correndo 21k, a maratona era algo que chegava a me assustar quando eu pensava onde me meteria. Depois de treinos pesados e mais quilos perdidos, finalizei, em Roma, meus primeiros 42k em 3h47m.

Apesar de ser apenas um iniciante, nada tirava da minha cabeça uma reportagem que tinha lido sobre a Comrades, ultramaratona de 89k que acontece desde 1923 na África do Sul. Daquele momento até a Comrades, em junho de 2012, sabia que a responsabilidade e a dedicação só aumentariam. Em dezembro de 2011 iniciamos os pesados e puxados treinos.

Os dias que antecederam a maior e mais importante prova da minha vida foram recheados de alegria por saber que faria a Comrades, um sonho antigo; ansiedade, por não saber exatamente o que encontraria; e êxtase, por estar num lugar onde todos respiravam aquela corrida.

No dia 3 de junho de 2012, às 6h, a largada foi dada na cidade de Pietermaritzburg para percorrer as temidas subidas e descidas da Comrades até chegar a Durban, 89k depois. A sensação de correr tantos quilômetros e ter pessoas durante todo o percurso apoiando, incentivando e gritando o nome do Brasil ao verem a bandeira pendurada na minha bermuda foi inesquecível. O trecho entre as duas cidades fica totalmente interrompido e milhares de pessoas passam o dia na beira das estradas incentivando os atletas. Alguns montam barracas na frente de casa e distribuem frutas, chocolate e água.

Não tenho dúvidas que a corrida ainda me trará outras emoções, mas jamais esquecerei o momento em que entrei no estádio onde ocorreu a chegada. As pessoas na arquibancada batiam nas placas de publicidade e faziam um grande barulho, além dos aplausos e gritos.

Depois de quase uma volta no estádio me encontrei com o tão sonhado e tradicional pórtico amarelo e preto (cores oficiais) da Comrades. Foi o momento de levantar os braços, dar socos no ar e finalizar o maior desafio da minha vida em 8h53m. Toda corrida depende do seu preparo físico, é claro, mas se na Comrades você não estiver com a parte psicológica em dia, não a completará.

Outro aspecto interessante é que quando você acha que chegou ao seu máximo, outras e mais ousadas idéias surgem na corrida. Tento buscar novos desafios e assim me superar. Trabalhando com a responsabilidade que o corpo e mente precisa, sempre tento focar em um objetivo e esforço-me para tentar alcançá-lo da melhor forma possível. A semente plantada na Serra da Araras deu fruto! E tem nome: “Ultra Solidária 126k”. Vou passar por Piraí, onde nasci, e Santanésia, onde cresci. Esse projeto é ousado não apenas na distância. Tentando conciliar o esporte com a solidariedade, a intenção era de que empresas contribuíssem com os quilômetros percorridos, com todo o valor arrecadado transformado em doação para quatro instituições de caridade daquela região.”