Dicas para os dias que antecedem a Corrida da Ponte – por Flávia Pinho Teixeira

Dicas para os dias que antecedem a Corrida da Ponte – por Flávia Pinho Teixeira

16 de junho de 2018 0 Por boratreinar

Flávio Pinho Teixeira tem formação em Nutrologia, Medicina do Exercício e do Esporte e é Mestre em Fisiologia do Exercício

Domingo é dia de encarar a Corrida Ponte.  São 21km que vivem nos sonhos dos corredores. O cenário é irresistível para quem aprecia o esporte, mas com o intenso calor e a umidade, devemos ter cuidado com a hidratação e alimentação.

Provas como as meias ou maratonas exigem ainda mais da nossa musculatura. Em todas as provas, mesmo as curtas, a atenção com a refeição que antecede a prova e com a refeição imediatamente após deve ser redobrada. Entretanto, nas provas longas, especial atenção temos que dar também ao dia que antecede a prova e ao que consumiremos durante a mesma!

Na véspera da prova:

Neste dia devemos descansar e dormir bem. Alterar a composição da dieta e ingerir 70% do que consumirmos de carboidratos ( como massas, pães, biscoitos integrais, frutas, sucos e mel ) vai nos garantir maiores estoques de glicogênio muscular e com isso prevenir a fadiga precoce durante a prova! Lembrem-se de que o esgotamento do glicogênio muscular é um dos principais responsáveis pela fadiga que às vezes nos faz “quebrar” durante uma prova.Além disso, devemos aumentar a ingestão de sais na dieta neste dia, para evitar hiponatremia ou cãimbras durante a prova. Basta acrescentar 1 sachê de 1 g de sal neste dia (pode usar metade no almoço e metade no jantar). Refeições leves no jantar da véspera como massas ao molho de tomate ou pães integrais são excelentes sugestões.

Durante a prova:

Sabemos que após uma hora de prova, os nossos estoques de glicogênio muscular sofrem maior degradação, portanto, em provas maiores do que 1 hora de duração, a cada 40 minutos devemos ingerir 20 a 25g de carboidratos. Desta forma estaremos mantendo os níveis de glicose sanguínea estáveis, evitando a depleção do glicogênio e consequentemente,melhorando a resistência durante a prova. Temos diversas opções, entre elas, repositores energéticos prontos, repositores em pó que podem ser preparados e levados para a prova,repositores em gel (que devem sempre ser ingeridos com água, para a ideal absorção e digestibilidade) e alimentos sólidos como bananadas, frutas, barrinhas de cereais ou pães!

Mas lembrem-se: Todas as estratégias devem ser treinadas previamente, portanto, faça testes durante os treinos e descubra a qual das estratégias você se adapta melhor! Lembrem-se também que há individualidades pessoais e de que a melhor das estratégias nutricionais para quem vai realizar o desafio de corridas longas é procurar a avaliação de um Médico nutrólogo ou de um nutricionista. Bons treinos e boas provas!